O primeiro playdate a gente nunca esquece!

13 jun

por Pat Guanais

A minha pequena está com 3 anos e meio e entrou oficialmente na fase dos Playdates.

A tradução literal para a palavra é “encontros para brincar”. Coisa mesmo de americano que gosta de profissionalizar tudo, até a farra infantil! Mas existe uma razão cultural que explica essa forma prática do povo americano lidar com eventos sociais.

Aqui as pessoas mudam de cidade, e mesmo de estado, com muita freqüência. Não é incomum jovens casais iniciarem suas vidas longe do apoio da família, e construir uma rede social em uma nova cidade é algo de fato desafiador. Os filhos, no entanto, acabam exigindo que os pais sejam mais pró-ativos nesse sentido e demandam, literalmente, encontros com outras crianças da mesma idade.

Moramos em um bairro onde existem muitas famílias com  crianças pequenas, principalmente famílias estrangeiras. Para facilitar esses encontros infantis entre os que ainda não freqüentam a escola, foi criado um evento na vizinhança chamado Mommy and me on the square, que acontece uma vez por mês, na praça principal e onde as mães têm a oportunidade de levar os filhos para conhecerem novos amiguinhos e agendarem os Playdates.  

Para ser sincera eu nunca participei desses eventos. Sempre olhei a movimentação na praça com curiosidade, mas sentia um certo estranhamento em tudo aquilo. Mas minha filha já vinha há tempos expressando a vontade de trazer os amiguinhos da escola para casa: mostrar o seu quartinho de “princesa”, os seus brinquedos, compartilhar o seu espaço. Percebi também que o desejo não era apenas dela. Era compartilhado pelos coleguinhas da escola, freqüentemente um deles me pedia para vir brincar em nossa casa ou levar a Fatima para brincar na casa deles.

 No Brasil, a nossa cultura e a espontaneidade favorecem os encontros. Tudo acontece de forma tão mais simples. Com tantas amigas queridas, com filhos na mesma idade da minha pequena, sempre imaginei que esse tipo de relação aconteceria naturalmente. Enfim, precisei iniciar os contatos com os outros pais da escola, mesmo sem entender como as coisas funcionavam por aqui. Mas bom, os desafios estão aí e a alegria dos pequenos deve ser prioridade.

Finalmente, na comemoração do Dia das Mães na escola, ficou clara para todas nós a necessidade imediata de começar essa rodada de encontros. Telefones e endereços de e-mail foram trocados, e a farra oficialmente teve início. De lá pra cá, os finais de semana estão com a agenda cheia, os pequenos estão satisfeitos e mais excitados do que nunca.

Fafi e Karem

 

Fafi e Carmem

 

Ana Paula, Natalia, Fafi e sua filha...

6 Respostas to “O primeiro playdate a gente nunca esquece!”

  1. Julia Henning 13/06/2011 às 18:17 #

    Pati, que diferente! Mas você é sempre muito atenta e preocupada em entender o mundo ao seu redor, acho muito legal o seu jeito de lidar com as diferenças culturais! E, de uma forma ou de outra, é uma solução bem prática de socialização! Eu bem que queria marcar uns paydates por aqui. Não para a Laís porque ela se vira bem, mas para mim! Porque essa Brasília é mesmo uma ilha. Daqui a pouco a moda pega por aqui. rsrsrs

    • Pat Guanais 14/06/2011 às 15:24 #

      Julinha querida,

      Você é sempre tão inovadora, pode muito bem começar a lançar a idéia!!! É ótimo para as crianças e depois de um tempo, quando as famílias já se conhecem um dos pais não precisa mais estar presente, então pode ser um tempo que vc tem para curtir, principalmente quando os encontros acontecem nos finais de semana.

      Uma vez que comecei a entender e a de fato agendar os playdates vi o quão comum isso é. Outro dia estávamos em um picnic com uns amigos no parque e Fátima era a única criança. Uma outra família que estava ao nosso lado estava com a mesma situação. Não demorou muito e as meninas se conectaram e brincaram o dia inteiro. Ao final eu e a mãe da outra garotinha trocamos telefones e ficamos de marcar um novo encontro. É isso, o desafio é também dos adultos em superar a timidez de contactar outros pais! Ainda estou aprendendo, mas bem satisfeita com o resultado!

      Beijos linda,
      Pat

  2. Bela 13/06/2011 às 18:45 #

    Pat, adorei! Acho que muitos papais de Brasília iriam adotar essa prática por aqui, já que nós também juntamos estrangeiros de todas as regiões do Brasil por aqui. Beijão!

    • Pat Guanais 14/06/2011 às 15:29 #

      Claro Bela!

      E imagina que troca bacana entre as crianças!!!!

      Em Brasilia estão as sedes de organismos como o BID (Banco Interamenricano de Desenvolvimento) e do Banco Mundial, além claro de todas as embaixadas, com famílias de todas as partes do mundo!

      Para essas famílias existem os desafios de criar a sua rede social em uma cidade nova e para os que vivem na cidade seria muito rico colocar as crianças para conhecer amiguinhos que vêm de outras terras (e falam outras línguas!) já pensou que bacana?

      Fica aí a idéia!!!
      Beijos guria!
      Pat

  3. lascomadres 13/06/2011 às 22:33 #

    Pat, como a Júlia disse, eu também iria curtir demais uns encontrinhos desse tipo…poderíamos até batizá-los de Conversa de Comadre!
    ;D

    • Pat Guanais 14/06/2011 às 15:32 #

      Amiga, a idéia já está lançada!!!!

      Acho que pode surgir daí grandes encontros com mães de Brasília (vou perguntar ao pessoal do Global Mobility que atende ao Banco Mundial se eles têm o contato do grupo aí em Brasília. Acho que seria muitíssimo interessante oferecer às novas famílias com crianças pequenas oportunidades de encontros com crianças locais)

      Vamos conversando!

      Beijos
      Pat

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: